Se você é um frenético usuário do Instagram (quem não é?)  já deve ter visto que algumas contas, tanto de pessoas famosas como Naomi Campbell, Bruna Marquezine, Gisele Bündchen e Demi Lovato, como de pessoas comuns, mudaram o ícone da foto de perfil da rede social para um fundo azul.

ícone azul serve para demonstrar solidariedade aos ativistas e vítimas do Sudão, país africano localizado no litoral do Mar Vermelho. Em meio a uma crise humanitária, muitos famosos se manifestaram contra o atual governo.

 

O que acontece no Sudão?

O país está transformado em um caos. Em meio a uma tomada de poder que culminou em uma ditadura, a população se encontra desamparada e não tem muito o que fazer.

As forças armadas prenderam Omar al-Bashir, ex presidente que governava há 3o anos o Sudão. Ele estava sendo acusado de corrupção e muitas pessoas começaram a protestar contra ele nas ruas. As manifestações duraram quatro meses até que o homem forte sudanês perdeu seu posto.

No entanto, a prisão de Omar al-Bashir não foi o suficiente para acabar com toda a confusão que estava dominando o país. A alegria da população que se libertou de um líder autoritário e corrupto, deu espaço a agonizante apreensão e ao medo de como os militares trataram os civis que exigiam uma alternativa democrática. Em um dos protestos no inicio do mês de junho, 35 pessoas foram mortas e mais de 650 ficaram feridas após a junta militar que atualmente comanda a nação atacar os manifestantes.

ONU, União das Nações Africanas e ONGs internacionais condenaram com veemência o ataque e exigiram transparência nas investigações e uma transição governamental tranquila.

Chefes militares do Sudão ordenaram um “blecaute” nos serviços de internet como medida de segurança, o que afetou a comunicação de organismos humanitários no país.

A justiça sudanesa determinou que o apagão na internet fosse encerrado. A Junta militar que comanda o país afirmou que irá retomar a conexão quando os manifestantes voltarem a mesa de negociações. Os protestos exigem que um civil assuma o poder da nação.

Outros relatos dão conta de que mais de 500 mulheres e crianças já foram abusadas sexualmente por militares.

O Futuro

Ainda não se sabe qual é o destino do Sudão, a crise pelo poder continua longe de acabar, mas a pressão internacional contra abusos está cada vez maior.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here